Daily Log 1

Em Junho de 2021, fui almoçar com o comendador João Palmeiro e no decorrer da conversa sabendo ele, que na Associação procuramos sempre projetos desafiantes e que possam dar expressão às nossas preocupações ambientais, e também que a nossa força anímica está ligada à necessidade de recuperar os Oceanos, pois da sua boa saúde dependemos todos nos…

Infelizmente muitos projetos ficam pelo caminho, não por falta de resiliência, mas porque os apoios necessários acabam por se resumir a cartas de conforto e “palmadinhas nas costas…”, o habitual no nosso Portugal cujo “desígnio é o Mar”.

Os bons projetos acabam por ser inspiração para outros….

Ainda bem que nem tudo se perde.

Foi neste quadro que o meu amigo João Palmeiro me fala do Centenário da efeméride de Gago Coutinho e Sacadura Cabral e me diz “porque é que você não faz esta travessia?”, nos, Associação da Imprensa escrita Nacional, vamos tentar desenvolver um projeto com os jornais portugueses e brasileiros no Estado de Pernambuco, que na época também estiveram ligados ao duplo acontecimento, a Travessia e os cem anos da Independência do Brasil.

O rastilho estava aceso, e dias depois tinha decidido, sozinho, e com o veleiro “ANIXA II” ou acompanhado começar a trabalhar para tentar desenvolver o projeto que desde logo batizei de “Projeto Expedição Lusitânia”.

Dias depois falando com um socio da Associação e aluno do projeto “Navegar”, mas também armador de um veleiro de 42 pés -um Sun Odissey 42- logo o desafiei a entrar comigo no projeto. Surpresa!!!! Ele queria partir em volta ao Mundo e até pensava partir em Setembro para Cabo Verde. Neste momento passaram a ser dois veleiros a querer partir na aventura

Anixa II
LampFall

Em Setembro partilhando o projeto com o administrador da Sociedade Estoril Sol – Digital limitada, disse-me que considerando a componente fortemente ambiental virada para os Oceanos e também o lado histórico e de aventura do projeto, que estaria disposto a patrocinar o mesmo. Dias poucos, passados informou a sua disposição de ser Master Sponsor do projeto.

A máquina estava lançada podíamos começar a pensar noutros patrocínios e fruto de uma serie de coincidências, tivemos ocasião de apresentar o projeto ao Administrador da Casa da Moeda e inclusive dizer do interessante que podia ser se houvesse uma moeda comemorativa do evento “Travessia do Atlântico Sul”. Poucos dias passados fomos informados que a Casa da Moeda nos iria apoiar como patrocinador e que inclusive ia produzir uma moeda da Travessia do Atlântico Sul.

Imaginem!!! Era difícil de acreditar, mas parecia que ia acontecer?!?

Nesta ocasião decidimos convidar a Associação Nacional de Cruzeiros, reputada associação de interesse publico e com cerca de mil veleiros sendo os associados os armadores, para se fazer parceira do projeto.

Mais uma vez o entusiasmo e a disposição de emparceirar foi imediata e dias depois tínhamos mais 7 veleiros a dizerem que queriam participar, o que finalmente ficou consolidado em 6 pois um dos armadores por razoes de saúde não conseguia partir e outros que se aproximaram acabaram por desistir por ainda acharem que precisavam de mais tempo e preparação náutica para enfrentar tao grande desafio.

Assim da Associação Nacional de Cruzeiros -ANC, alinhavam o “SUEK” capitão Fernando Mendes, o “ZALALA” capitão João Real, o “La LUNA II” capitão Rodrigo Pissarra, o “MAIAO” capitão José Oliveira, o “ NIMBOS” capitão o Moisés Martins e finalmente o “ARNIKA” capitão o Luís Isidoro.

Foi nesta ocasião, estamos a fins de Setembro início de Outubro, que se iniciaram os contactos institucionais, pois sem eles a nossa aventura poderia ser muito difícil ou mesmo impossível de concretizar. A viagem em si seria possível, mas o projeto “Expedição Lusitânia” é muito mais que a ida de Lisboa até ao Rio para repetir integralmente a viagem de Gago Coutinho e Sacadura Cabral, a Expedição Lusitânia tem mais duas vertentes que a complementam e que lhe dão sentido e que são:

– Levar ao longo dos locais de escala, sempre que possível, um grito de alerta e de despertar dos cidadãos para a necessidade urgente de “SALVE OS OCEANOS – SALVE A HUMANIDADE”, isto acontece em conferências a cargo do Capitão da Marinha Mercante e ex-funcionário Europeu José Mesquita.

– Por via da Tertúlia de Artes da Associação David Melgueiro levar uma exposição coletiva itinerante (inaugurada em 2018) e que tem como tema “OCEANO-MAR É VIDA”, esta será também apresentada nos locais como Mindelo e Rio de Janeiro. Artistas músicos e cantores de onde destacamos a fadista KATIA Guerreiro, o fadista Jorge Mendes, e o músico compositor Silvestre Fonseca também integram o programa dos eventos.

Os apoios Institucionais da Armada Portuguesa a nível do seu chefe máximo o sr. Almirante CEMA, o apoio da Armada Brasileira também a nível do seu CEMA, o apoio do Ministério dos Negócios Estrangeiros, o Instituto Camões e da Câmara Municipal de Lisboa um após outro foram obtidos. Finalmente sua Excelência o sr. Presidente da República fez-se representar na cerimónia oficial de apresentação do Projeto que teve lugar no Pavilhao das Galeotas dia 10 de Fevereiro.

No momento da largada frota dia 3 de Abril, em Belém, Sua Excelência o Sr. Presidente da República honrou com a sua presença, dando assim um forte sinal de apoio à Comissão das Celebrações da Travessia envolvendo a Armada e Força Aérea que Comemoraram o Centenário e que nos deram a honra de nos integrar nessas comemorações oficiais o que também aconteceu no com as autoridades Brasileiras.

O que era impossível estava a ACONTECER!!!!!!!

Partilhe este artigo